Segure a respiração, feche os olhos e mergulhe

Uma pausa é bem vinda. Você pode estar querendo se esconder do mundo, da vida, do seu cotidiano… por alguns segundos isso é possível. Submerso, a sensação é de distanciamento daquilo que está na superfície. O que te envolve é a temperatura da água, cores atenuadas, sons dispersos e os seus próprios pensamentos.

A depressão não é um buraco, mas sim um mergulho

Tudo o que te cerca muda de estado, os movimentos ficam lentos, o tempo muda de compasso. É difícil abrir os olhos, as imagens ficam turvas e o campo de visão limitado. Os sentidos se reorganizam, o corpo – flutuando – exige novas percepções e outra maneira de se controlar. Você quer permanecer encolhido, coberto, está em uma viagem consigo mesmo.

Momentos de se retrair estão presentes na vida de todos, são necessários e, desde que cuidados, podem ser benéficos. Dure o quanto precise durar, algo está em desenvolvimento. Mas há o movimento complementar, quando chega a hora em que é preciso emergir. Respirar é um alívio após aquele período sob pressão. O que estava latente tende a despertar, ser sentido de uma nova forma, desincubar.

Subida descontrolada

O outro extremo da bipolaridade é a euforia. É como usar óculos especiais que funcionam como uma lente de aumento, tornando tudo em volta mais brilhante, vivo e intensamente colorido. Todos os sentidos ficam mais apurados, você sente estímulos na pele, até no couro cabeludo, os aromas te atraem, a comida tem mais sabor, você parece captar todos os sons. Você quer rir, falar, se mexer, se soltar. O pensamento acelera, surgem muitas ideias, de repente você acredita estar enxergando tudo com extrema clareza (mesmo o que não tem nenhum sentido), qualquer objetivo aparenta ser facilmente alcançável, você tem mais disposição e muito otimismo.

Cada coisa realmente parece correr a mil maravilhas, mas essa lente reduz sua própria percepção do que está de fato acontecendo. Há a tendência a ficar mais autoritário e irritadiço, a tomar decisões impulsivas e precipitadas, e depois de tamanha excitação a energia tende a despencar bruscamente.

Acredito que esta analogia da bipolaridade com o mergulho e a subida contribui para a compreensão do transtorno bipolar. Você conhece alguém que seja ou é portador do transtorno bipolar? O que você achou do texto?

Por Paula Azevedo

 

emergir_texto01